“Para os seus verdadeiros torcedores, o que vale é o caráter superior que inspirou a sua fundação e que está presente na alma de cada banguense.”

domingo, 3 de julho de 2016

Rafanelli, o capitão do Bangu: Zagueiro argentino que nunca foi expulso vestindo a camisa alvirrubra

Ramon Roque Rafanelli (Rafanelli) nasceu na província de Santa Fé (Argentina) no dia 5/3/1921. Começou a atuar profissionalmente no Club Atlético Unión, clube da sua cidade natal, por sila, tão alvirrubro quanto o Bangu. Veio para o Brasil em 1943 para atuar no Vasco da Gama (RJ), onde jogou até 1948, tendo feito parte do chamado "expresso da vitória".

Em 1949, o Dr. Guilherme da Silveira o trouxe para o Bangu, pagando Cr$ 250 mil. Rafanelli teria a missão de substituir Domingos da Guia, que pretendia encerrar a carreira.

Rafanelli vestindo a camisa alvirrubra do Bangu AC
O Papa Francisco autografa a atual camisa alvirrubra do C A Unión
Rafanelli, figurinha carimbada (nº 80) na página do Bangu do Álbum "Picando o Couro", editado em 1952 pela Fábrica de Balas José Innocente (SP)
De 31 de março de 1949, quando estreou no empate com o Flamengo por 2 x 2, até 31/1/1953, quando fez sua última partida pelo Bangu na vitória sobre o Atlético Mineiro por 5 x 3, disputou 122 jogos, com 68 vitória, 19 empates e 35 derrotas. Nunca marcou um gol pelo Bangu, mas, em contrapartida, nunca foi expulso vestindo a honorável camisa alvirrubra.

Da esquerda para a direita: Oswaldo, Rafanelli, Mirim, Vermelho, Ruy Campos e Alaine; Mendonça, Zizinho, Moacir Bueno, Djalma e Nivio 

Apesar do Bangu ter formado uma forte equipe no início da década de 50, o único título conquistado pelo alvirrubro foi o de Campeão do Torneio Início do Rio - São Paulo de 1951. Rafanelli, como o capitão da equipe, recebeu a taça do prefeito do Distrito Federal, Sr. Mendes de Morais. Também foi Vice-Campeão Carioca pelo Bangu, em 1951, mas se contundiu na primeira partida decisiva contra o Fluminense e não atuou na segunda.

O capitão banguense Rafanelli recebe a Taça das mãos do prefeito do Distrito Federal, Mendes de Morais

No início de 1953, o uruguaio Ondino Vieira, que havia sido seu técnico no Bangu, pediu a diretoria do Palmeiras (SP) a sua contratação, o que foi concretizado.

Ao pendurar as chuteiras continuou a morar no Brasil. O grande capitão banguense faleceu aos oitenta anos  continuou morando no Brasil, falecendo aos 80 anos, no dia 6 de julho de 2001, em Niterói (RJ). Na próxima quarta feira terão passados exatos 15 anos desde a sua morte.

Fontes: Bangu.NET / Wikipédia / LIVROZILLA / Álbum e Figurinhas no Comunidades / Nostalgia Álbum de Figurinhas

Nenhum comentário:

Postar um comentário