“Para os seus verdadeiros torcedores, o que vale é o caráter superior que inspirou a sua fundação e que está presente na alma de cada banguense.”

sexta-feira, 27 de maio de 2016

A poesia em um coração banguense - 1

Vermelho e Branco II


Quando tão somente
Um frágil fio de vida
Ainda me restar,
Quando, inexorável,
O vendaval dos tempos
Tiver varrido todas as lembranças,
A recordação de um certo símbolo,
Vermelho e branco,
Lá em um cantinho bem recôndito,
Desenhará em minha face
Um luminoso sorriso de prazer.
E assim será; até o fim!

Nenhum comentário:

Postar um comentário